Exercício físico melhora a qualidade do sono de idosos, afirma pesquisa

193

Demorar para pegar no sono, acordar várias vezes durante a noite e sentir que as horas dormidas não foram suficientes para recompor as energias. Esses são alguns dos problemas que cerca de 40% dos brasileiros sofrem no dia a dia, de acordo com os dados divulgados pela Organização Mundial da Saúde. A famosa insônia assombra muitas pessoas, sobretudo os idosos.

Ter uma boa noite de sono faz parte dos pilares de uma vida saudável. Por isso, é indispensável procurar um tratamento para acabar com a insônia. Você sabia que os exercícios físicos regulares são uma excelente forma de reduzir a fragmentação do sono de idosos? 

Uma pesquisa de mestrado com nome de “Efeitos de diferentes tipos de exercícios sobre a qualidade do sono em idosos”, realizada pelo fisioterapeuta Thiago Bonardi, na Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP) da USP, comprova essa afirmação.

A pesquisa

A pesquisa acompanhou 44 idosos hipertensos, com idade entre 60 e 75 anos, divididos em três grupos: os que fizeram exercício aeróbio, os que combinaram exercício aeróbio e de força e os que, como forma de controle, não fizeram exercícios.

Os treinos de esteira e musculação duraram 10 semanas e todas as atividades foram constantemente supervisionadas. Já a avaliação do sono começou a ser monitorada três dias (96 horas) antes da primeira sessão de exercício e a mesma quantidade de dias após o último treinamento.  Essa avaliação foi realizada por um monitor de atividade física, registrando os movimentos dos idosos em intervalos de um em um minuto, e todos eles passaram por avaliação cardiológica que mediu a capacidade máxima de esforço.

O resultado

De acordo com Thiago Bonardi, os idosos que praticaram exercícios físicos de ambos os grupos tiveram melhora semelhante na qualidade do sono e diminuíram os despertares frequentes. Além disso, os exercícios também impactaram positivamente nos aspectos emocionais e, consequentemente, permitiu que os idosos ficassem mais ativos fisicamente.

Em entrevista ao Jornal da Universidade de São Paulo (USP), o pesquisador Thiago Bonardi explica que o resultado benéfico pode estar relacionado às substâncias produzidas pelo corpo, como as endorfinas, serotonina e opioides, durante e após as atividades físicas. O fisioterapeuta também reforçou que os exercícios trazem muito mais benefícios para os idosos:

“Os exercícios também ajudam a prevenir doenças cardíacas e vasculares, hipertensão arterial, diabetes, câncer de mama e próstata, obesidade, osteoporose, estresse e depressão”, diz Thiago Bonardi.

Fonte: jornal.usp.br

Last modified: 10 de Janeiro de 2019

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *