Outubro Rosa: relação entre câncer de mama e exercício físico

106

Praticar exercícios físicos regularmente é uma das formas mais eficientes de manter o corpo saudável. Os benefícios vão muito além dos quilos que a balança marca e pode até precaver o surgimento de várias doenças muito sérias, como o câncer de mama.

Aproveitando o Outubro Rosa, movimento criado para estimular a participação da população no controle do câncer que mais mata mulheres no mundo, é importante ressaltar que a atividade física tem dois papéis muito importantes ligados a câncer de mama: a prevenção e o reforço do tratamento.

Prevenção

Você sabia que aproximadamente 10 mil novos casos de câncer, entre eles o de mama e o de cólon, poderiam ser evitados no Brasil se a população praticasse atividade física? Esses dados são de uma pesquisa realizada pelo Departamento de Medicina Preventiva da Faculdade de Medicina da USP (FMUSP), em parceria com a Universidade de Harvard, Universidade de Cambridge e Universidade de Queensland, e publicada na revista Cancer Epidemiology, em julho de 2018.

Segundo um dos pesquisadores, Leandro Fórnias Machado de Rezende, o estudo analisou dados da prática de atividade física no Brasil, dados sobre risco de câncer associados à falta de atividade física de uma extensão revisão de literatura e dados sobre a incidência de câncer publicados pelo Inca e pela Agência Internacional de Pesquisa em Câncer. A partir dessa análise, os autores da pesquisa fizeram diferentes estimativas de prevenção de câncer por meio do exercício físico e chegaram nesse número alarmante.

O estudo concluiu que até 8,6 mil casos de câncer em mulheres, e 1,7 mil casos de câncer em homens poderiam ser evitados por ano com a prática de exercícios físicos. Esses valores correspondem a 19% da incidência de câncer de cólon e 12% da incidência do câncer de mama no Brasil.

Mas por que isso acontece?

Ainda de acordo com o artigo, a prática regular de atividade física atua no controle de peso, no nível de gordura e influencia diretamente os hormônios e marcadores inflamatórios. Esses fatores estão por trás de tumores, o que faz a falta dos exercícios aumentar o risco de incidência de alguns tipos de câncer.

Tratamento

Não é fácil lidar com esse diagnóstico. São muitas novidades e muitas mulheres ficam deprimidas com o turbilhão de emoções que o momento traz. É aí que entra o exercício físico! Poucos sabem, mas a prática é muito benéfica para as pacientes. Estudos apontam que manter o corpo ativo durante e após o tratamento pode diminuir o risco de recorrência do câncer de mama.

Em entrevista ao Instituto Oncoguia, a diretora-médica do Instituto Quimioterapia e Beleza, Dra. Regina Chamon, falou sobre os benefícios:

“O exercício melhora o funcionamento do corpo, diminui a sensação de fadiga causada pela quimioterapia, diminui a ansiedade e aumenta a autoestima.”

Além disso, os exercícios também ajudam a manter a composição corporal adequada, diminuir a perda de massa muscular e preservar o coração funcionamento bem. No entanto, é importante ficar atento aos cuidados especiais. A médica alerta que é importante consultar um médico antes de começar, pois cada caso é um caso, e, se o paciente for sedentário, o ideal é começar com atividades leves e de pouca duração.

Aproveite o movimento do Outubro Rosa e faça parte dessa campanha que ajuda a conscientizar a população, proporciona maior acesso aos serviços de diagnóstico precoce e contribui para a redução da mortalidade. Fale sobre o câncer de mama e previna-se. A Move apoia essa causa!

Fontes:  jornal.usp.br l oncoguia.org.br l Pesquisa completa 

Foto: Reprodução/flashcuritiba.com

Last modified: 17 de outubro de 2018

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *